sábado, 14 de novembro de 2009

Cidade Universitária (2)

Foi muito interessante poder testemunhar o início do encontro de diversas gerações de antigos estudantes, que hoje se reuniram na Casa de Portugal, na Cité Universitaire de Paris. Muitos vindos de Portugal e alguns de bem mais longe, como foi o caso da pintora Isabel Pavão, que viajou desde Nova Iorque para poder estar presente no encontro. Dele pode vir a nascer uma Associação de antigos residentes, feito na base de um inventário mais completo do imenso número de pessoas que, desde a criação da Casa, nela habitaram.

A Casa de Portugal foi construída pela Fundação Calouste Gulbenkian, com desenho do arquitecto José Sommer-Ribeiro e tem uma história muito interessante, de que já aqui falei, em especial por nela se terem reflectido alguns períodos da vida política francesa e portuguesa, como o Maio de 1968, o 25 de Abril e o período revolucionário que se lhe seguiu.

Segundo se lê em "Les Portugais à Paris" (Chandeigne, 2009), a Casa de Portugal foi inaugurada em 1967, tendo passado a ter o nome de André de Gouveia em 1972 (ver aqui). Dos originais 29 quartos, a residência passou a ter 170, após uma recente reforma. Salazar comentaria, a propósito dos estudantes que a utilizavam: "Eles vão para Paris para, de seguida, irem para Moscovo". Em alguns casos, teve razão...

Durante o encontro de hoje, suscitei a ideia de se poder fazer uma recolha de testemunhos sobre a história da Casa de Portugal, por forma a permitir reconstituir uma memória escrita de um dos locais emblemáticos da presença portuguesa em Paris. Prontifiquei-me a colocar a Embaixada disponível para ajudar nessa tarefa.

3 comentários:

Anónimo disse...

Excelente ideia, a memória futura erege-se no presente passado.
Isabel Seixas

MJofer disse...

E porque não realizar um evento deste género aqui em Portugal? Muitos dos antigos residentes na Casa de Portugal vivem e trabalham aqui. Eu teria gostado de participar, mas os afazeres profissionais não mo permitiram.
Maria José

Ana Matos disse...

A minha filha irá fazer Erasmus na Sorbonne em Fevereiro/2015 e candidatou-se a um quarto nesta residência, espero que tenha a sorte de ser aceite para, fazendo assim parte deste universo cultural (mas parece que os critérios de selecção são muito exigentes).
Sendo de Beja, estudou no liceu Diogo Gouveia, tio de André de Gouveia...curiosidades!!
Ana Matos